Mesmo que você não faça ideia do que seja a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês), provavelmente já teve contato com tal interconexão. A assistente virtual Alexa, da Amazon, por exemplo, é um ótimo exemplo de IoT.

Por meio da assistente, é possível acionar outros aparelhos que estão no ambiente apenas com um comando de voz. Em uma casa com lâmpadas inteligentes, basta configurá-las à assistente e dizer: "Alexa, ligar luzes!". Pronto! As lâmpadas vão se acender imediatamente, sem que você encoste em absolutamente nada.

É como se a estrutura da residência conversasse entre si - daí o nome Internet das Coisas. Afinal, os objetos passam a estar conectados por meio de uma rede, assim como acontece entre humanos que também se comunicam por dispositivos que possuam conexão à internet.

Citamos um exemplo domiciliar, porém a solução IoT pode ser muito bem aplicada em um ambiente corporativo também. Inclusive, otimizando os resultados de quaisquer empresas. E é sobre isso que vamos falar a partir de agora neste texto.

Imagine a seguinte situação: você é gestor de uma empresa alimentícia, que fornece freezers e saladas congeladas a diversos supermercados. Em um determinado dia, um dos seus clientes o procura para reclamar do produto, alegando que a sua consistência não está adequada. A princípio, a sua reação, provavelmente, será promover a troca do lote e arcar com o prejuízo.

No entanto, talvez, a culpa não seja sua. Mas como identificar a origem do problema e provar a "inocência" ao cliente? A IoT pode ser uma das respostas para tais questões. Como dissemos anteriormente, a Internet das Coisas conecta equipamentos, possibilitando um monitoramento em tempo real dos aparelhos integrantes deste sistema - neste caso hipotético, o freezer que armazena as saladas.

Resumindo, caso haja uma queda de energia no mercado, você, como gestor, terá acesso a essa informação e poderá comprovar que o alimento ficou estragado por uma falha no estabelecimento. E não por algum erro do fornecedor, ou seja, da sua empresa. Tal controle permite, então, que o seu negócio não tenha prejuízos indevidos.

A essa altura do texto, você deve estar se perguntando como conectar tais equipamentos. Há algumas alternativas, como Wi-Fi e Bluetooth, entre outros. Porém, tão importante como o caminho utilizado para “comunicar os aparelhos” é o armazenamento dos dados colhidos durante todo esse processo. Neste momento, nós, da RamalVirtual Telecom, oferecemos a nossa solução em nuvem.

No caso hipotético supracitado, no qual falamos sobre o freezer de salada no supermercado, o controle poderia ser feito de quaisquer lugares. Bastaria ter acesso à nuvem para consultar todas as informações relacionadas ao equipamento instalado no supermercado. E o melhor: desenvolvemos soluções personalizadas, de acordo com as necessidades de cada um dos nossos clientes.

Quer saber como a Internet das Coisas pode melhorar os resultados da sua empresa? O que você gostaria de monitorar? Seus veículos, sua carga, uma geladeira – como citado no texto? Clique AQUI e consulte a RamalVirtual Telecom!

 

Eng. Ricardo França

CEO RamalVirtual Telecom